Portal Blog do Lago
Informação de qualidade na Tríplice Fronteira

CAPS de STI inova com terapia co-participativa das famílias itaipuenses

O primeiro dia do mês de agosto foi marcado pelo início de um programa de apoio psicológico aos adolescentes. Pais serão co-terapeutas durante e após o tratamento

0

Desenvolver habilidades sociais, buscar respostas para vários questionamentos e fortalecer a relação com a família por meio da troca de experiência, – tendo como auxílio a ajuda de especialistas – é a realidade de um grupo de adolescentes de Santa Terezinha de Itaipu, com idade entre 11 e 17 anos, que iniciou na quinta-feira, 1º de agosto, um ciclo de encontros denominado “Dá uma moral aí”.

A novidade implantada pela equipe do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS), busca suprir a necessidade sentida por uma parcela de adolescentes, tendo como estratégia aliar o apoio psicológico obtido nos encontros com a interação familiar. “Implantamos um serviço de saúde de caráter comunitário onde os pais serão os co-terapeutas durante e após o tratamento”, explicou a psicóloga do CAPS, Chaiany Colpo Phillipsen

Durante o primeiro encontro os adolescentes puderam se conhecer e entender sobre o funcionamento das atividades que serão realizadas em oito etapas semanais, às quintas-feiras, das 10h às 11h.

Saúde mental – Com uma equipe multidisciplinar formada por médico, clínico geral, psiquiatra, assistente social, psicólogo, terapeuta ocupacional e enfermeiros, o CAPS integra a rede municipal de saúde de Santa Terezinha de Itaipu, garantindo qualidade de vida aos itaipuenses. O meio ofertado consiste em atividades que estimulem a percepção e a vivência dos pacientes.

Além de realizar terapias em grupo e individual, a equipe desempenha o serviço de acolhimento por meio de consultas clínicas, psiquiátricas e atendimento social, que inclui rodas de conversa, palestras, artesanato, atividades manuais, corporais, caminhada, alongamento, relaxamento e jardinagem.

Atendimentos – Em dois anos de funcionamento, o centro já realizou mais de 10 mil atendimentos voltados para pacientes com transtornos mentais, depressão, ansiedade e dependentes de álcool e outras drogas.

DCSTI
Texto e foto