Professores e funcionários da educação anunciam greve no Paraná

0

A APP-Sindicato anunciou greve para o mês de dezembro no Paraná. De acordo com o sindicato, o movimento grevista é contra a reforma da previdência, proposta pelo Governo do Estado, e também ataques à Educação.

Confira a nota emitida pela APP-Foz:

Para derrotar, na luta, a reforma da Previdência do Paraná e o conjunto de ataques contra a educação pública, professores(as), pedagogos(as) e funcionários(as) iniciam greve no próximo dia 2 de dezembro. A paralisação foi aprovada por unanimidade pela Assembleia Estadual da categoria, neste sábado, 23, em Curitiba (PR).

A mobilização dos(as) educadores(as) é uma resposta à truculência a aos desmandos do governo, que retira direitos dos(as) trabalhadores(as) e promove o desmonte da educação pública do Paraná. Ratinho Junior, por meio da SEED, impõe práticas empresariais, apostando na obtenção de índices – questionáveis e muitas vezes manipulados – , no corte de investimentos e na privatização.

“A greve é necessária para impedirmos o ataque à aposentadoria, a demissão de PSSs, a extinção do Ensino Médio noturno, o desmonte da EJA, o fechamento de turmas e de escolas do campo”, destaca a presidenta da APP-Sindicato/Foz, Cátia Castro. “Queremos, com mobilização e luta, reverter a resolução que está sendo desenhada pela SEED, nefasta aos(às) educadores(as) e prejudicial às escolas”, complementa.

“Na assembleia, a categoria avaliou exaustivamente o cenário, medindo todas as dificuldades que envolvem o início de um movimento neste período”, relata Cátia. “Mas, como Ratinho Junior está seguindo os métodos de Beto Richa e decide intensificar os ataques com um pacote contra direitos, exatamente no final de ano, não temos outra alternativa além de lutar e resistir agora”, conclui.

A greve é contra a PEC da reforma da Previdência do Paraná e os projetos de lei que destroem a aposentadoria dos(as) servidores(as), em tramitação na Assembleia Legislativa (ALEP). O movimento em defesa da educação pública também é contra os ataques à Educação de Jovens e Adultos (EJA), o fechamento de Ensino Médio noturno e a demissão de trabalhadores em regime temporário, os PSSs.

A paralisação dos educadores(as) busca, ainda, assegurar uma resolução de distribuição e aulas respeite direitos dos professores(as) e a organização e autonomia das escolas, ao contrário do documento que está sendo elaborado pela SEED. A quebra de compromisso do Governo Ratinho Junior em relação ao acordo para o fim da última greve e outras questões educacionais também estão na pauta.

CALENDÁRIO DA GREVE

Novembro

Até o dia 25 – Participar da consulta pública sobre distribuição de aulas com as contribuições do ofício 123/19 da APP-Sindicato e ajustes decorrentes da fala sobre o tema na live realizada pela Seed. Acesse o link aqui

Até o dia 30 – Reunião com Deputados Estaduais nas bases. Buscar o apoio pela retirada da PEC 16/19 e PLs 885/19 e 856/19
– Instalação dos comandos regionais de greve em cada núcleo sindical;

Dia 25 (segunda) – 08h30 – Audiência Pública pelo Fundeb Permanente, na ALEP.

14h – Acompanhar sessão e pressionar os/as deputados/as na ALEP;

18h – Audiência sobre a PEC 16/19 e PLs 885/19 e 856/19 – Previdência dos/as Servidores/as Estaduais, no Auditório da Sede Estadual da APP-Sindicato, Av. Iguaçu, 880;

Dia 27 (quarta) – Boicote a Prova Paraná (SAEP)

– Dia Estadual em defesa da escola pública, contra as políticas empresariais da Seed. Mobilização da comunidade escolar com reunião, panfletagem, ato de resistência nas escolas (bandana, faixa de braço), entrega de carta aos estudantes.
– Debates sobre a importância da participação na greve.
– Dia de mobilização nacional pelo FUNDEB PERMANENTE

Dezembro

Até o dia 2 – reuniões, plenárias, assembleias com pais, mães e responsáveis para dialogar sobre a greve e seus motivos.

Dia 1º (domingo) – 20ª Parada da Diversidade LGBTI de Curitiba; às 10 horas reunião com militantes da educação na APP-Sindicato. Tema: 50 anos de Stonewall Slogan: E elas, Travestis, Transexuais, Transgêneras, Drag Queens e Afeminadas continuam na luta!

Dia 2 (segunda) – Vigília das/os Aposentadas/os em frente à Catedral de Curitiba (Praça Tiradentes), das 18 às 24 horas.
– Comando de Greve Estadual

Dia 3º (terça) – ATO PÚBLICO ESTADUAL, em Curitiba – Assembleia Estadual para avaliação, encaminhamentos e definições

Dia 4 (quarta) – Audiência Pública sobre os impactos da BNCC na matriz curricular, às 09 horas, na ALEP.

Leia a matéria completa na Rádio Cultura Foz clicando aqui!

Leave A Reply

Your email address will not be published.