PTI capacita policiais militares de Foz sobre uso de drones na segurança pública

0 66

Na última quarta-feira (20), aconteceu a segunda formação sobre uso de drones na segurança pública, oferecida pelo Parque Tecnológico Itaipu (PTI) a policiais militares do 14º batalhão, em Foz do Iguaçu. Ao todo, estão previstas quatro oficinas e mais de 30 agentes serão capacitados em aulas teóricas e práticas, incluindo conhecimentos sobre legislação e pilotagem dos equipamentos.

PTI capacita policiais militares de Foz sobre uso de drones na segurança pública 1

Com os avanços tecnológicos, as atividades humanas estão em constante transformação e os profissionais precisam estar atualizados quanto ao uso de diferentes inovações. No âmbito militar não é diferente. Historicamente, a Polícia Militar possui funções ostensivas que, muitas vezes, colocam os policiais em situações de perigo.

PTI capacita policiais militares de Foz sobre uso de drones na segurança pública

Neste cenário, inserir os drones no planejamento e execução das atividades dos agentes, principalmente em áreas de alto risco, torna-se uma opção valiosa que pode, inclusive, salvar vidas. Os objetos podem passar despercebidos nas alturas e capturar imagens em alta resolução de regiões de conflitos, possíveis rotas de fuga de suspeitos, locais de difícil acesso, entre outros.

De acordo com o soldado Igor Montandon, alguns grupos especiais da Polícia já utilizam os drones em ações “mas ainda é preciso entender a tecnologia e sua importância para que, futuramente, possa se consolidar nas corporações”.

Expertise nas alturas

Atento às tecnologias que surgem no mercado e que facilitam o desenvolvimento de diferentes atividades, o PTI aderiu e implementou o uso de aeronaves não tripuladas, popularmente conhecidas como drones, em algumas de suas ações.

PTI capacita policiais militares de Foz sobre uso de drones na segurança pública 2

Desde 2018, o Parque vem investindo em iniciativas relacionadas ao setor, incluindo eventos sobre aplicações e legislação de drones, aquisição de equipamentos – cadastrados na Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), formação de corpo técnico devidamente habilitado para pilotar os drones, além de práticas de monitoramento e acompanhamento de projetos desenvolvidos em parceria com a Itaipu Binacional e outros parceiros.

Assessoria – Foto: Jeferson dos Santos/PTI

O espaço está aberto para você deixar sua opinião.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More