Portal Blog do Lago
Informação de qualidade na Tríplice Fronteira

Micro e pequenas empresas da região oeste do Paraná melhoram a gestão e inovação com o ALI

Programa ALI capacitou pequenos negócios com foco na promoção da inovação e gestão

0

Mais de 230 micro e pequenas empresas da região oeste do Paraná concluíram a participação no Programa ALI nas cidades de Cascavel, Toledo e Foz do Iguaçu. O Programa, desenvolvido pelo Sebrae em parceria com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), tem abrangência nacional e é consolidado como um diferencial na estratégia de competitividade dos pequenos negócios.

Na região oeste, o Programa teve duração de trinta meses com empresas dos setores de TI, agroindústrias, turismo, metal-mecânica e empresas de setores diversos que apresentavam alto potencial de crescimento e inovação. Segundo o consultor do Sebrae/PR, Alan Debus, o cronograma oportunizou aos empresários o entendimento sobre quais caminhos deveriam percorrer e, depois, um diagnóstico de resultados para avaliarem se a ação foi ou não produtiva para a empresa.

“Iniciamos os trabalhos em janeiro de 2017 e terminamos em maio de 2019. O programa em si baseava-se na metodologia de planos de ação, então foi um período intenso, de 30 meses, onde os empresários de 236 empresas terminaram o processo com bastante êxito, já colhendo os resultados esperados e programados durante o cronograma de visitas”, introduz.

Agentes Locais de Inovação

O Programa ALI possibilita que o pequeno negócio aumente a captura de valor por meio da criação e entrega de soluções inovadoras de maneira acelerada, promovendo a prática continuada de ações de inovação nos pequenos negócios com potencial inovador, de acordo com o grau de maturidade de gestão e motivação para implantação da gestão de inovação por meio de orientação proativa e personalizada.

Para que isso acontecesse, durante o período ativo do Programa, empresários receberam na empresa, um Agente Local de Inovação (ALI) que, a cada trinta dias, realizava diagnóstico e acompanhamento das ideias propostas para que a inovação pudesse ser uma realidade.

“Nas três cidades, nós contamos com o trabalho de seis ALIs que iam até a empresa e realizavam, junto ao empresário, o diagnóstico de inovação e gestão para oferecer uma devolutiva. Depois, os ALIs auxiliavam e acompanhavam a construção de um novo plano de ação e, por fim, forneciam todo o acompanhamento e auxílio necessário para que a empresa alcançasse as metas do plano”, explica Alan.

Willian Menoncin é empresário do ramo imobiliário na cidade de Toledo. Ele decidiu participar do Programa a fim de aumentar os potenciais de inovação da Imobiliária Panorama e, além disso, alinhar as diretrizes do negócio com todos os colaboradores. Agora, com a programação concluída, ele acredita que os objetivos iniciais foram cumpridos e os resultados já estão sendo colhidos.

“Conseguimos ajustar vários pontos que antes eram deixados de lado. Mudamos a frequência de reuniões com a equipe, por exemplo, e a partir disso, tivemos uma mudança significativa na forma com que os colaboradores interagem entre si, gerando mais engajamento do colaborador com a empresa. Com isso, eu percebo que o grande ganho foi o amadurecimento da empresa. Agora, conseguimos enxergar de maneira mais profissional onde estamos e aonde queremos chegar, sendo que já temos as metas e estratégias traçadas para alcançar esses novos objetivos”, conta Willian.

Com colaboradores mais engajados e comprometidos, empresa consolidada e planos de ações atualizados, Willian conta que outros resultados também já foram percebidos desde a entrada no Programa. “Para o mercado imobiliário, 2018 foi muito difícil. Porém, com as estratégias do Programa e outras ações combinadas que realizamos, observamos um crescimento considerável na empresa. Como exemplo, nestes cinco primeiros meses de 2019, conseguimos mais vendas do que em todo o ano de 2018 e o crescimento é percebido tanto em quantidade de imóveis vendidos quanto em valores de venda. Nas locações, eu posso dizer que, seguramente, crescemos pelo menos 5% no número de aluguéis”, enumera o empresário.

Outro exemplo de empresa que obteve grandes mudanças a partir da entrada no Programa ALI é a Tetris Container Hostel, de Foz do Iguaçu. Ricardo Nisiide, gerente geral do empreendimento, acredita que a participação no Programa gerou uma motivação ainda maior para que a empresa pudesse sair do lugar comum e inovar na essência.

“As visitas dos ALIs nos fizeram sair da zona de conforto. Nós percebemos que precisávamos mudar muita coisa para que pudéssemos crescer em termos de gestão e inovação. Com o Programa, nós conseguimos detectar deficiências em vários setores e planejar mudanças efetivas para essa questão, além de melhorarmos o marketing e as redes sociais da empresa, o que influenciou diretamente no nosso relacionamento com o cliente”, exemplifica o Ricardo.

Diante destes resultados, no entanto, Ricardo acredita que o trabalho não chegou ao fim. Apesar dos trinta meses de intensas atividades de mudanças e planejamento, o gerente geral aposta na continuidade dos conteúdos aprendidos. “O Programa ALI abriu os nossos olhos para muitas questões e para a necessidade de nunca ficarmos parados. Nós tínhamos alguns objetivos com a participação e eles foram alcançados, mas não consideramos nada como concluído. Agora, estamos entrando num novo processo de gestão da inovação e ele precisará ser contínuo para que continua rendendo mudanças positivas”, conclui.

Nas cidades de Foz do Iguaçu, Toledo e Cascavel, o desenvolvimento do Programa ALI foi 100% subsidiado pelo Sebrae Nacional em parceria com o Sebrae/PR e CNPq. Nesta edição, houve a atuação de seis Agentes Locais de Inovação, além de consultores sêniores e seis gestores do Sebrae/PR.

Assessoria