Orquestra de Viola Caipira chega para marcar época em STI

0

Lançamento será na sexta-feira, 25, às 19h30, no Ciami. Objetivo é estimular a cultura tradicionalista e oferecer o melhor da música raiz aos itaipuenses

Santa Terezinha de Itaipu passará a contar com uma novidade a partir de sexta-feira, 25: a Orquestra Municipal de Viola Caipira. Formada por jovens da cidade, com idade entre 12 a 18 anos, a orquestra chega com o propósito de perpetuar a música raiz e fortalecer ainda mais a cultura, fazendo com que o novo e o antigo se fundam. O lançamento será às 19h30, no Centro Integrado de Apoio à Melhor Idade (Ciami), sendo gratuito e aberto à comunidade.

De acordo com o prefeito Cláudio Eberhard, “a orquestra é um anseio antigo que passou a ganhar forma e hoje está com a maturidade necessária para ser apresentada ao público”. “Temos jovens talentos e todos dispostos a mostrar o seu melhor. Sem dúvida, será um evento lindo e marcante”, disse o gestor municipal.

O desafio dos jovens (meninos e meninas) é ainda maior, quando a orquestra passa a fazer parte de eventos solenes no município. Além das canções raiz, eles estão prontos para apresentar os hinos nacional e do município. Mas, para que permaneça no grupo, é necessário, além de afinação, ter postura, responsabilidade, zelo pelo instrumento e respeito com os colegas. “O ensinamento vai além da música”, destacou o diretor do Departamento de Cultura, Mário Alarcon. Segundo ele, “além da formação musical, existe a formação do ser humano que envolve, principalmente, o respeito ao próximo”.

Os ensaios têm duração de duas horas, nas quartas e quintas-feiras, às 14h, no Departamento de Cultura. A parte instrumental é conduzida pelo professor Fabrício Sandoval e a técnica vocal, por Alisson Wiliam da Silva.

Eu aprovo – Valmiro da Silva é pai de Cauã Fernando Gomthorosk da Silva, 11 anos, que iniciou nas aulas de viola, dentro do projeto Viola Lindeira (inicitiva da Itaipu Binacional com apoio do Conselho dos Lindeiros e municípios da região) e hoje integra a orquestra municipal.

“Ele adora. Não perde nenhuma aula e está sempre pronto para tocar”, disse o pai que, ao saber do projeto, deu de presente a viola que tinha em casa para o filho iniciar na música. “Essa orquestra vai emocionar muita gente. Vai ser lindo ouvir canções antigas sendo tocadas por uma juventude com brilho no olhar e muita vontade de fazer bonito”, pontuou Valmiro.

Texto e fotos: DC STI

Leave A Reply

Your email address will not be published.